Image Map

Friends - Capítulo 17 -The end ever

Harry Styles on:

        Acho que era a primeira vez em três anos que eu comemorava o aniversário de Zayn longe dele... Eu sei que isso soa melancólico, mas da saudades. Pelo menos estou viajando com Carol.
-Amorzinho...- ela se sentou atrás de mim na cama.
-Oi bebê..- ela alisou minhas costas carinhosamente.
-Vamos lá pra massagem?- perguntou
-De novo? Mas nós já não fomos ontem?- ela riu e me abraçou, ainda de costas.
-É, mas eu estou muito estressada.
-A gente poderia deixar o estresse de outro jeito né?- acariciei suas coxas.
-A não Harryzinho... Vamos.- ela beijou meu pescoço.
-Com esse beijo é meio impossível de negar.- rimos e me levantei pegando-a no colo.
-Harry eu sou pesada!- sério?
-Que isso Carol, você é perfeita.- beijei seus lábios assim que entramos no elevador.
-Obrigada meu bem.- pus a no chão e começamos um beijo um pouco mais quente, estamos a três dias aqui, deitados na mesma cama com beijos quentes e nada de... Sexo com Carol. Ela diz que está muito cansada e blá, mas acho isso desculpinha.-Vem bebê...- me puxou pela cintura e revirei os olhos com tamanho melaço.

(Seunome) on:

-(seunome) Marie Sallerno... Eu não acredito que você vai ficar aí na cama chorando por um idiota que é o Harry.
-Eu não to chorando.- disse secando as lágrimas
-Ahaam, o que? Ta lavando os olhos por dentro?- Karen se deitou ao meu lado na cama.-Anda, temos uma festa pra ir e você ta vigiando o Harry por fotos! Larga essa budega.- fechou o notebook. - Olha pra mim.- olhei pra ela como uma criança esperando solução. -Você é (seunome) Sallerno e não depende de homem nenhum pra pôr um sorriso neste rosto. Você me entendeu?- assenti afundando minha cabeça no travesseiro.- EU NÃO ESCUTEI!
-CALA A BOCA KAREN... EU QUERO MORRER.- chorei.
-SALLERNO LEVANTA ESSA BUNDA E PARA DE SER MOLE! ELE NÃO EXISTE NO SEU VOCABULÁRIO OU PENSAMENTOS. -me enchi de coragem, chorar pelo Harry valeria alguma coisa? Eu melhoraria? Não. O que me restava era seguir a vida. -Esquece ele amiga... Você é tão linda pra chorar por macho... Não que tenha que chorar por mulher...- rimos -Vem cá meu anjo, chora não...- a abracei forte,
-Você é melhor Karen.
-Anos de experiência. -rimos.

Harry on:

-Harry vamos pra...- olhei pra ela e me levantei calmamente da cadeira onde acabara de sentar
-Carol, eu te acho muito, realmente muito legal-ela me encarou já sabendo que eu queria terminar.-Mas não da mais.
-Mas por que está terminando? Porque eu sou muito velha né Harry? - me encarou triste -Me responde.- disse baixo.
-Não Carol...- ela se baseio nisso os três dias, que ela estava muito velha e tals. -Carol você é perfeita, mas não é pra mim.- encarei seus olhos cautelosamente.
-É por causa da (seunome), né? Só seja franco comigo.- respirei fundo passeando minhas mãos pelo cabelo
-Se eu disser que não vou mentir... Esse talvez seja um dos motivos.
-Harry... Eu não vou dizer que foi um erro, mas não foi a coisa mais pensada que eu fiz. Onde namorar um homem mais novo... Sei lá. Você é  lindo e muito maduro pra sua idade, okay?- ri.
-Obrigada Carol. Não esqueça que eu gosto muito de você. - beijei sua testa. -Ei, você é linda.- foquei em seus olhos e peguei minhas malas. -A propósito, tudo pago. Disse que pagaria tudo e não importa se vim outro pra cá...- rimos- Eu pago.
Saí do hotel com um sorriso discreto no rosto e passei por último num shopping por perto, pra sair de lá com roupa  nova pra dar oi, e felizmente ficar com Musa.
                                                [...]
     Cheguei muito tarde em casa, o voo simplesmente atrasou e cheguei às dez da manhã no aeroporto, em casa umas dez e meia porque o táxi demorou uns cinco minutos.
-Harry Styles?! -Liam fingiu estar surpreso e rimos.
-OMG! LIAM PAYNE?- fiz uma voz afeminada e o puxei pra um abraço.
-O que está fazendo aqui Harry?- assim que me joguei no sofá Liam perguntou.
-Bem, resolvi terminar com Carol e felizmente ficar com a minha (Seunome)!
-Olha...
-Bom dia família!- Niall deu um sorrisão pra nós dois e aquilo tinha pelo menos um motivo, alguma chance absoluta de Musa ter posto em seu rosto.
-Você ficou com ela? -o fitei mudando totalmente meu semblante.
-Não... Ontem só fiquei com a Kátia e a Lorena.
-Qual Lorena, a Lorena ruiva ou de cabelo preto?
-De cabelo preto. -Liam deu de ombros e o encarei em reprovação, aquilo não tinha importância.
-Você não pensa em ficar com ela, né? -revirou os olhos
-Olha Harry, eu não devo mínimas satisfações, mas se tanto insiste mesmo tendo uma namorada, repito na-mo-ra-da, eu digo que não pretendo ficar com ela assim como ela não pretende ficar com você.- deu um sorriso convencido e me irritei ainda mais.
-Como assim? -arqueei a sobrancelha.
-Como assim?! Ela está chateada com você! -foi a vez de Liam me irritar.
-Mas o que eu fiz?- Niall e Liam cruzaram os braços como se tudo fosse óbvio e o pior é que era.

I won´t give up 2 temporada capítulo 13 " Ironia"


Senti meu corpo se arrepiar, mas agora de um jeito bom, borboletas no estômago, a cabeça rodando, ele afinal, era tão culpado quanto eu, por que se eu havia me apaixonado pelo que deveria ser meu assassino, ele havia se apaixonado por sua vitima, ele me observou, seus olhos brilhavam, meu coração deu um um salto, ele não estava mentindo, não poderia, voltou seu olhar para a pista, eu senti minha garganta apertada, nem precisei pedir e ele continuou-
Subornei o Hedge para nos colocar juntos, e ele o fez, eu não deveria ter me aproximado tanto, aquele nunca foi o plano, mas você... você me lembrava... ela. - o fitei - Ela? - ele assentiu - Quem? - Liam apenas balançou a cabeça - .... Eu, tentei rejeitar aquilo sabe, dentro de mim, naquele dia na festa... eu  ia pega-la, quando você ficou bêbada, mas... eu acabei te e beijando, não consegui... te levei pra casa, te coloquei na cama, e depois procurei por tudo, qualquer coisa que pudesse te mostrar culpada, assim aquela tortura acabaria logo, e eu poderia ir embora, mas eu não achei nada, nadinha, nada que pudesse provar que você sabia de algo, nem mesmo seu pai guardava nada ali, então, eu passei á ficar de olho em você, sua rotina era completamente normal, até suas conversar pelo telefone com seu pai... Com algum trabalho eu consegui mostrar isso pros meus superiores, eles acreditaram, e pediram para que eu me retirasse, aquele dia, que eu disse que ia sair da cidade... na verdade eu ia embora - O encarei -
Você nem mesmo, ia se despedir?! - ele balançou a cabeça - Não conseguiria... me desculpe - balancei a cabeça olhando pra janela, lá fora, o tempo começava á mudar de novo, logo iria começar á chover... novamente - E então... o que deu errado? - perguntei, eu sentia minha mágoa sair nas minhas palavras, mas não era algo que eu pudesse conter, ele suspirou -
Seu pai tinha negócios com pessoas, mais perigosas que ele, e quando ele foi pego passou á se tornar uma ameaça, por que, de um jeito ou de outro, ele iria acabar contando tudo... Então decidiram ir atrás de você... não sabiam onde você morava, mas alguém entregou você - o olhei, franzindo a testa - Jason... Sim, Jason realmente era seu irmão, um caso em New York antes do seu pai se casar com a sua mãe, mas você de certa forma, mesmo sem saber a verdade, representava uma ameaça á Jason, ele queria tudo, tudo o que passaria á ser seu, quando seu pai falecesse, mas não teria nada, por que mesmo ele sabendo a verdade, e você não... ele ainda era o bastardo, e você... a filha favorita... - arregalei os olhos, não tinha como isso ser verdade, meu pai havia me abandonado, mentido a vida inteira pra mim, enquanto Jason sabia de tudo, e eu aposto sempre estava perto dele - Então, naquele dia eu voltei, quando você me ligou, a verdade? Eu ainda estava na cidade, Jason tinha envenenado seu suco, ele iria entrega-la á eles, quando eu cheguei ela ainda estava esperando você ficar completamente desacordada do lado de fora da sua casa, quando eu o encontrei fiz ele confessar tudo, o mandei embora, mas já era tarde, já sabiam como e onde te achar - semicerrei os olhos -
É isso que eu não entendo... o que diabos eles iriam querer comigo -Liam me encarou ligeiramente -
Como eu disse, você era a filha favorita, acha que seu pai... contaria tudo se descobrissem que estavam com a filha dele? - ACHO! - Foi assim que eu convenci eles á me deixarem ficar mais tempo com você, pararam de tortura-lo e passaram á fazer chantagem... com você - mordi o lábio, tudo era tão complicado - Então basicamente, você só me usou - minha voz saiu trêmu-la, ele suspirou - Sabe que não foi nada disso, nunca foi... no momento que eu te vi... - ele pausou bruscamente, o encarei -
Você disse, que eu era parecida com ela... - Liam suspirou irritado - Fica fora desse assunto! - foi a minha vez de ficar irritada - NÃO ME DIGA O QUE FAZER! Você iria me torturar... me matar, me usou para arrancar informações do meu pai, ao menos eu tenho o direito de saber a verdade sobre isso também... - respirei, sentindo minha pulsação se acalmar, o observei, ele não parecia calmo tão pouco -... Tudo bem então, não tem que me falar sobre isso, apenas... tente não me dizer o que fazer okay? - virei o rosto pro outro lado, pude ouvir a risada baixa de Liam, o fitei - Você é tão parecida com ela... - continuei calado, mas ele prosseguiu - Seu nome era Katherin, ela era uma agente, como eu... éramos parceiros, e depois de um tempo... nos apaixonamos - o fitei - Estávamos felizes, estávamos... bem. Mas um dia recebemos uma missão, nos infiltrar e matar um dos líderes de uma organização criminal ... mas deu tudo errado, nos pegaram, e tentaram arrancar informações de nós, nos torturam, por quase uma semana, eu consegui aguentar mas ela... não, contou tudo o que sabia, eles nos deixaram vivos, mas já era tarde pra ela... morreu á caminho do  hospital - senti meu coração se apertar - Aquela túmulo... era dela? - ele suspirou - Eu sabia que, tudo o que ela queria era descanso, como numa cidade pequena... logo depois de sua morte descobriram você ... eu implorei que me dessem a missão - virei a cabeça de canto - POR QUE? - ele suspirou - Por que... eu poderia torturar e matar... a filha do homem que matou o amor da minha vida - ele me fitou - Como a vida é irônica não?

---------------------------------------------------------

Hey cats como estão? Bem o cap. tá pequeno, eu sei. 


I won´t give up 2 temporada Capítulo 12 "Eu me apaixonei"


Ele me fitou por um instante e depois voltou á fixar seus olhos na pista, percebi os nós de seus dedos brancos tamanha a força com que ele apertava o volante.-
É complicado... - o observei - Eu acho que sou capaz de entender - ele riu -
Meu nome é Liam James Payne, eu tenho 21 anos, trabalho pros caras que me enviaram aqui desde os dezoito - arregalei os olhos, ele era quatro anos mais velho do que eu, se bem que, nenhum garoto com dezessete anos teria aquela musculatura -
 ... As pessoas que querem dar um fim em você, bem... como eu disse é complicado - assenti - Pra quem você trabalha? - ele me olhou como que me advertindo mas voltou seu olhar pra pista -
Uma associação governamental secreta, á serviço do país - engoli seco - Como espiões? - ele assentiu - Quase isso... cada um tem seu dever, o meu é me infiltrar e cumprir a ordem que me foi dada, assenti, parei pra pensar um pouco e prossegui -
Meu pai... você disse que... ele não era uma boa pessoa - não exactamente com essas palavras - POR QUE? - Liam suspirou, eu tinha a impressão de que estava acabando com toda sua calma, mas só ia calar minha boca e parar de fazer perguntas depois que todas as minhas dúvidas estivessem claras.-
Primeiro, seu pai só se casou com sua mãe por um jogo de interesses, o pai dela, seu avô, era dono de uma organização criminosa milionária, e seu pai, do outro lado da linha tinha negócios com ele, mesmo tão jovem... nessa época eles ainda moravam em New York, nos Estados Unidos, ele se casou com sua mãe para assim poderem juntar os negócios, e foi o que aconteceu - interesses, pensei, tudo um grande jogo de interesses - Por anos eles procuraram por seu pai, pelo dono de uma das organizações criminosas mais bem sucedidas do país, e por anos eles fracassaram, ele sempre estava á um passo á frente, nunca conseguiram pega-lo, sabiam que ele era casado, mas nem o paradeiro de sua esposa conseguiram descobrir... - Claro, as viagens, todo aquele tempo longe de casa, tudo fazia sentido, as coisas começavam á se encaixar na minha cabeça - Mas então, ele foi envelhecendo, passou á ter menos cuidado com as coisas, passou á deixar rastros, não era mais um garoto, e não demorou muito para descobrirmos que ele tinha uma vida dupla... Uma em New york nos Estados Unidos, e outra em New York... na Inglaterra, alguns inimigos de seu pai também descobriram, na mesma época, e vieram atrás dele aqui na Inglaterra, mas ele não estava, ao invés dele acharam sua mãe... e a executaram. - Liam me fitou, suas palavras saíam duras e frias, mas meu coração palpitava com tanta força que eu sentia que á qualquer momento se romperia, minha mãe não foi morta por uma doença afinal... ela foi assassinada, como ele pode me esconder isso, mentir pra mim de tal forma? Sentia as lágrimas brotarem em meus olhos... mas me esforcei para guarda-las -
P-por favor... continue - Liam assentiu -
Depois que á mataram logo após o enterro seu pai abandonou New York na Inglaterra, veio pros Estados Unidos, continuamos monitorando ele, e percebemos que, um vez ou outra ele voltava, não podia ser pela a casa, ele tinha dinheiro pra comprar centenas como aquela... nem lembranças, digamos que ele não era do nosso ponto de vista um homem tão emotivo, então resolvemos checar, apesar de tudo, da morte de sua mãe, dele estar cada vez mais perto de ser pego por nós, ele conseguiu manter algo em segredo, á salvo, dos olhares de todos, escondida numa pequena cidade, a única coisa pela qual ele poderia talvez se render um dia... - arregalei meus olhos, minha boca estava seca e minha cabeça latejava-
O que? - perguntei ingênuamente, Liam riu -
Você (Seu nome) - nós em minha cabeça pareciam estar se desatando com cada vez mais velocidade, tudo... tudinho fazia sentido, o abandono após a morte da minha mãe, a morte da minha mãe, a suposta rejeição dele por mim... Liam tinha razão, aquilo tudo parecia uma grande e elaborada teia de mentiras - Decidimos que não seria prudente nos aproximarmos de você - Liam prosseguiu - A cidade era pequena demais, e assim que ele descobrisse daria um jeito de te pegar e coloca-la em segurança, e tudo estaria perdido novamente... mas algo aconteceu, á quase dois meses ele foi pego, numa emboscada, como eu disse, ele costumava ser mais inteligente e astuto, decidiram então infiltrar alguém na vida da filha dele, "eu" - semicerrei os cílios -
Não entendo, se vocês o já tinham pego... por que precisavam de mim? Por que então você veio pra me... proteger - Liam respirou fundo e após alguns minutos finalmente respondeu -
É por que (Seu nome)...  eu não fui mandado para protege-la... minha missão inicial era me infiltrar em sua vida para não levantar suspeitas, em seguida sequestra-la, arrancar informações - fiquei imaginando o que ele queria dizer com "arrancar" - ... e em seguida elimina-la - senti meu coração se apertar -
.... VOCÊ IRIA ME MATAR? - ele pressionou a mandíbula -
SIM! - respondeu sem pestanejar, senti meu corpo se arrepiar, e me encolhi no meu banco - Mas duas coisas deram muito errado - ele continuou depois de um tempo, eu sentia as lágrimas tomarem conta do meu rosto, ele iria me matar? Mesmo? Como eu poderia ter me apaixonado por um cara que deveria ter me matado?!-
O-o que? - indaguei, minhas lágrimas já descendo sem controle, ele me fitou -
Primeiro, você era inocente...- respirei fundo, e se eu não fosse? Ele teria me matado? - E segundo... Eu me apaixonei.

---------------------------------------------------------

Heyyyy little cats, como estão? Gente de verdade me perdoem pela demora, eu to escrevendo ese cap. á uns 3 dias, eu apaguei pelo menos umas quatro vezes, por que nada nunca ficava legal... enfim, aí estão suas respostas, o capítulo está pequeno por que era aí que precisava parar (sentiram o clima?) a história não é das mais convencionais, mas eu espero que vocês deêm uma chance certo? bem é isso por hoje, acho que volto logo, pois agora vai ficar tudo muito mais fácil de escrever, por favor comentem, e me digam o que acharam tá? 

Love you >,<

Story Of my Life - 1º temporada- Capitulo 15 - " Seu cheiro."

Capitulo 15 - " Seu cheiro."




Louis parecia decidido do que estava pronto a fazer.
Ele tinha um dos braços apoiados na parede, ao lado do meu rosto,  e o outro segurando firme a minha cintura, fazendo com que qualquer espaço que existisse entre nós acabasse.
Louis estava apenas com os lábios encostados no meu, provavelmente esperando que eu me afastasse ou me recuperasse do susto.
Sorri fraco sobre os seus lábios enquanto subia minhas mão pela sua barriga e peitoral, repousando-as em seu pescoço e nuca. Dando-lhe a certeza e a continuidade.
Louis pareceu perceber quando deixou a sua mão apoiada, antes na parede, deslizar para a minha nuca.
Sim, ele iria fazer isso.
Ele movimentou levemente o seu rosto enquanto roçava os nossos lábios e narizes, tirando-me selinhos lentos e delicados, que foram se intensificando, ficando mais rápidos e frequentes.
Quando o elevador abriu as portas, Louis não desfez o beijo, demos alguns passos até chegar à nossa porta enquanto eu pegava o cartão que estava no bolso de trás de sua calça, abrindo a porta em seguida.
Louis me guiou, de costas, até o sofá onde, por fim, nossos lábios se separaram até que ele se sentasse ao meu lado.
Eu o fitei, sem ser capaz de desviar o olhar de seus lábios.
Louis estendeu uma de suas mãos, deslizando pelo meu rosto e fazendo com que eu fechasse os olhos enquanto sentia o seu toque.
Eu não precisava abrir os olhos para saber que seu rosto estava tão próximo do meu, eu podia sentir sua respiração, seus lábios roçando os meus....
- Eu não consigo... - ele disse quase num sussurro, fazendo com que eu abrisse os olhos, esperando pelo o que viria a seguir.
- O que, Louis? O que você não consegue? - perguntei vendo-o com os olhos fechados enquanto ele ainda deslizava as mãos em meu rosto, repousando seus dedos sobre meus lábios.
- Eu não consigo mais, Harry. - ele abiu os olhos, me fitando por alguns segundos antes que voltasse a falar - Isso não sai da minha cabeça, Harry. Você. Você não sai da minha cabeça. Eu não consigo reprimir isso. - ele dizia baixo enquanto eu sentia uma das melhores sensações do mundo - Eu... eu fico pensando e me torturando... contando os minutos para isso acontecer de novo.
- Shhh.... - coloquei meu dedo sobre seu lábio - eu estou aqui.... Isso está acontecendo... - eu disse segundos antes de L9uis me abraçar, tão forte.
Eu o abracei sentindo que ele precisava de mim assim como eu preciso dele.
Eu passei minhas mãos pelo seus cabelos, sentindo sua respiração pesada sobre o meu pescoço.
- Lou?
- Ham? - ele respondeu sem se mover, apenas fazendo com que eu sentisse seus lábios sobre o meu pescoço, me causando um leve arrepio.
- Eu.... eu não quero perde-lo - disse apertando-o mais contra o meu corpo.
- Você não vai... nunca.- ele completou, mantendo um arrepio um arrepio em minha pele.
Foram alguns segundos, talvez minutos, apenas sentindo-o em meus braços, como se tudo o que eu precisasse estivesse ao alcance de um abraço, como se nada mais importasse.
- Eu amo o seu cheiro. - ele disse baixo enquanto roçava o seu nariz em meu pescoço.
-Eu amo o seu também. - a verdade era; eu amava tudo em Louis Tomlinson. Porque tudo de mim amava tudo dele, desde as suas qualidade até as suas perfeitas imperfeições.
Foi com um beijo depositado em meu pescoço que eu senti o quando me sentia completo agora.
Louis levantou o rosto, ainda mantendo-o colado no meu.
E essa foi a minha vez de deixar beijos logo abaixo de sua orelha, sentindo seu perfume e sua pele quente.
Não pude deixar de perceber o arrepio se formando na pele de Louis, me deixando feliz e satisfeito por ver o que eu causo nele.
Ele virou seu rosto lentamente, deixando beijos em minha bochecha enquanto, aos poucos, eu me direcionava aos seus lábios
Lábios que me receberam afoitos, assim como suas mãos repousadas em minha nuca, me trazendo cada vez para mais perto.
Eu queria cada vez mais, mais Louis, mais beijos, mais carinhos.
Minhas mãos passaram por sua cintura enquanto eu inclinava o meu corpo
A língua de Louis tocou os meus lábios e eu cedi sem medo, sem receio, apenas cedi.
Seu beijo começou calmo, nós queríamos desfrutar de cada minimo detalhe, cada toque, respiração, reação.
Mas o desejo de tê-lo, senti-lo, foi aumentando e intensificando à medida que Louis cedia às minhas investidas.

Quando me dei conta, Louis já estava abaixo de mim, deitado no sofá enquanto suas mãos deslizavam pelas minhas costas.






Heeeeeeeeeeeeet girls! Primeeeeeiro, vou deixar um beijo pra fofa da Mayara Goulart, beijo sweet!
Geeeeente, deixa eu me explicar (de novo) Eu não apareci aqui não foi porque eu não quis, ok?
1° motivo: ta todo mundo com virose aqui
2° motivo: o meu pc tá uma bosta.
Sério, eu estou desde às 13:00 tentando colocar esse capitulo no blog, mas o meu pc fica reiniciando sozinho e o que acontece? Eu perco tudo. Depois quando eu abro a pagina do blog, o chrome fecha dizendo que eu tenho que atualizar a porra do Flash player. mas sabe? eu já baixei uns 500 flash player diferente e nenhum arrumou. Aí a genia aqui excluiu tudo que tinha no pc e depois instalou tudo de novo, achando que ia arrumar. Conclusão: ta a mesma bosta. 
Por fim, eu vou ter que mandar essa bosta formatar, porque eu já fiz tudo que eu podia. kkkkkk bom garotas, o capitulo de feel the love tá pronto já faz uns dois dias, eu vou tentar voltar mais tarde aqui pra postar, ok? se eu não conseguir hoje, eu tento amanhã, se não for amanhã, vai ser domingo. e fica assim, ok? tudo depende da boa vontade do meu pc. beijinhos e eu amo vocês <3 ps: eu vou estar no ask pelo cel, já que pelo menos esse presta... 

I won´t give up 2 temporada Capítulo 11 Teia de mentiras


Acordei sentido meu corpo, todo e completamente dolorido, de um jeito bom... olhei pro lado e Liam não estava lá, do outro lado do quarto a mala preta me chamava, mas eu decidi que esperaria, que confiaria nele para me contar tudo, suspirei, apesar disso ser extremamente difícil, levantei e tomei um banho, a luz do Sol entrava no quarto iluminando tudo, velas derretidas estavam por toda parte, sai do banheiro e vesti uma blusa do Liam, me joguei na cama ouvindo meu estômago roncar, em poucos minutos a porta se abriu e Liam entrou, segurando uma bandeja e algumas sacolas de compra, bocejei ele sorriu se sentando ao meu lado -Com fome?- assenti -Um pouco... - ele colocou a bandeja sobre mim, os pezinhos sob a cama, sorri, havia suco, torradas, waffles, mel, calda de chocolate e café... sorri- Onde arrumou tudo isso? - foi a vez dele sorrir, me deu um beijo na testa e pegou uma das sacolas despejando o conteúdo na cama, em seguida pegou a outra e fez o mesmo processo, dentro haviam roupas que pareciam novinhas em folha, inclusive estavam com as etiquetas, haviam duas calças, três blusas, uma blusa de frio, uma touca, na outra haviam caixas, ele abriu revelando um tênis, e um par de sapatilhas pretas ,arqueei uma sobrancelha, ele sorriu - Espero que tenha acertado nos números... me levantei e fui até as roupas pondo a bandeja de lado, olhei ao redor e vi uma pequena sacola de compras, preta, abri... dentro havia sutiã e calcinha, arqueei uma sobrancelha e ele sorriu sapeca, quase no mesmo instante tirei a sua blusa e peguei um sutiã preto e uma calcinha preto vestindo-a, Liam me olhava maliciosamente, apesar de eu o estar provocando, sentia minhas bochechas coradas, mesmo assim, não havia nada ali que ele ainda não tenha visto, peguei uma blusa branca e um jeans preto, em seguida calcei a bota também preta, olhei pra Liam, ele assentiu aprovando, voltei á me jogar sobre a cama, pegando a bandeja e devorando as torradas, Liam apenas me observava, pouco tempo depois e eu já estava satisfeita, ele sorriu - Achei que estivesse com fome... - sorri - E estava... - o olhei - Mas agora estou curiosa - ele me fitou, o sorriso sumindo do seu rosto - Arrume-se... precisamos ir - levantei com raiva - LIAM! Você prometeu... prometeu que hoje me contaria tudo, e não me esconderia mais nada... - ele suspirou impaciente - Eu sei... e eu vou, só preciso de tempo - ele se aproximou, sai de perto dele - NÃO!  Você só está me enrolando... me deixe em paz... - disse pegando meu celular que só então eu havia notado em cima da cama e saindo quarto à fora, desci as escadas e fui pra fora, o jipe estava estacionado ali perto, suspirei arqueando meu corpo, o Sol batia contra meu rosto, sentia cada poro do meu rosto sugar o calor do Sol, peguei meu celular, a bateria já estava quase acabando, mesmo assim ainda estava ligado, haviam 5 mensagens na caixa de entrada, mensagens de Eve, e uma do meu pai, pedia pra mim ligar pra ele o mais rápido possível, não pensei duas vezes e liguei no número, dois toques depois e voz grave atendeu - Alô? - engoli seco, aquela não era a voz do meu pai, antes de mim responder porém alguém puxou o celular da minha mão o desligando - O que pensa que está fazendo? - Liam indagou rosnando, suspirei - O que acha? Pelo visto, ao contrário de você eu tenho pessoas que se preocupam comigo, meu pai por exemplo... Liam... - parei por um instante sentindo toda minha raiva escorregar do meu corpo - Aquela não era a voz dele... será que as pessoas que estão atrás de mim pegaram ele? - senti meu coração se apertar, meu corpo tremeu, de cima á baixo - Me dê o celular... - ele me encarou - Não - disse firmemente - Me.Dê.O.Celular... - falei igualmente mais firme... - NÃO - senti a raiva voltar á responder por mim- LIAM! TUDO ISSO É CULPA SUA... TUDO ISSO SÓ ACONTECEU DEPOIS DE QUE VOCÊ APARECEU... AGORA MEU PAI TAMBÉM ESTÁ NISSO... E A CULPA É SUA, ME DÊ A DROGA DO CELULAR E ME DEIXE FALAR COM ELE DROGA! - Pude ver Liam ficar vermelho, a fúria estampada nos seus olhos, ele se aproximou vagarosamente, senti meu sangue sumir, minha boca ficar seca - Quer me culpar? Culpe se quiser, não estou nem aí, o que eu deveria estar fazendo estou, você está viva e bem... mas não vou permitir que se preocupe com aquele desgraçado, a culpa de tudo isso é dele, realmente quer saber a verdade (Seu nome)? Bem aí vai uma, se quiser culpar a pessoa certa... culpe á ele... e não á mim, você é só uma garotinha envolta numa teia de mentiras... num mundinho construído especialmente pra te enganar, não posso simplesmente despejar a verdade em cima de você sem destruir tudo no que você acredita... então, só entre naquele jipe, só fale comigo quando quiser realmente saber a verdade, e tiver em mente, que seu pai não é essa pessoa boa que você acredita que seja... - Suas palavras, diferentes das minhas saíam ordenadas e cordenadas, a frieza com que ele as pronunciava me assustou, eu sentia minha cabeça girar... então eu era isso? Uma garotinha presa num mundo de mentiras prontas pra acabar comigo? E quanto ao meu pai? O que ele quis dizer com aquilo, a verdade é que Liam tinha razão... eu não estava pronta... não estava pronta para a verdade. Liam entrou na pousada e em seguida saiu com sua mala, e as sacolas com minhas roupas, ele entrou novamente e eu aproveitei pra dar uma escapulida logo depois de recuperar meu celular, sai andando até achar um pequeno banco de madeira com ferro, parecia aqueles banquinhos de praça, mas aquilo não me parecia uma praça, peguei o celular, eu nem mesmo havia chegado á ler as mensagens de Eve, e o que isso importava agora? Eu me sentia confusa e frágil, seria tão mais fácil entrar naquele jipe e seguir com Liam pra onde quer que ele fosse me levar, encontrar meu pai, abraça-lo, e tudo voltar á ser exatamente como antes, abracei meus joelhos, seria tão mais fácil... mas não seria o certo, seja lá do que Liam falava ele parecia ter raiva, ódio do meu pai, eu nunca jamais o vi causar mal á ninguém, o que quer que ele houvesse feito, eu tinha de saber, não podia permitir que as pessoas á minha volta simplesmente mentissem pra mim, foda-se se isso me faria infeliz, a verdade nesse momento é algo do qual eu preciso e necessito, e se eu continuasse á rejeita-la, só causaria mais sofrimento á mim mesma... senti meus olhos marejarem, mas isso não torna, de forma alguma, as coisas mais fáceis, pelo contrário, só torna tudo ainda mais difícil, confuso... complicado. As lágrimas rolavam quentes por minha face, senti uma mão quente no meu ombro, tentei engolir o choro o mais rápido possível, ele sentou-se ao meu lado... - Me desculpe, eu não deveria ter sido tão... ruim com você... - o abracei, e ele me envolveu com seus braços...-
A culpa não é sua... é, eu não deveria ter cobrado o que não... poderia. - ele acariciou meu cabelo - Eu não deveria ter jogado as coisas em você daquela forma... - suspirei - Mas jogou... então agore termine, conte... tudo - foi sua vez de suspirar - Tenho uma idéia, você me pergunta e eu respondo, perguntas fáceis, facilita... para nós dois... - assenti, me levantei com ele  e juntos voltamos para o jipe, ele me olhou duvidoso - Pode começar... - senti meu corpo estremecer... -
Tudo bem... primeira pergunta... Por quê quer me proteger?... E de quem  você me protege?...

---------------------------------------

Hey Cupcakes, como vão? Eu vou muito bem obrigada, o cap. ia ser menor, mas eu achei que seria maldoso da minha parte, enfim... comentem, e me contem, quais são suas teorias... Amo vocês

Kisses

I won´t give up 2 temporada Capítulo 10 HOT



[...] Meus olhos se abriram vagarosamente, o cinto de segurança ainda me prendia ao banco, eu sentia minhas costas doerem, a tarde já caia, olhei pra Liam - Não dá pra você dar uma paradinha? Eu preciso... - olhei ao redor - jantar eu acho... - ele se debruçou pra trás pegou uma sacola no banco de trás  e jogou no meu colo - Achei um mercado enquanto você dormia - na sacola
havia tudo quanto era besteira, olhei pra Liam incrédula... - Eu disse comida... sabe, o que não vai me trazer um câncer em duas semanas - Liam revirou os olhos - Tudo bem, no próximo restaurante a gente para - ele disse impaciente, mas eu estava vendo bem onde aquilo ia dar, não havia nada na estrada, exceto o asfalto e nós, a noite caia rapidamente, eu sentia frio mesmo com as janelas fechadas jà que o carro não tinha aquecedor, gotas grossas de chuva passaram à se chocar contra o pàra-brisa. Quase uma hora depois um letreiro neon indicava um restaurante à uns poucos metros da pista, mais á tràs parecia haver uma pequena cidade, Liam parou e em baixo da chuva nos esgueiramos para dentro do restaurante, era um restaurante rústico de comida caseira, tirando nós só haviam mais umas 4 pessoas, nos sentamos e uma senhora loira veio nos atender - Olà o que vão querer? - já ia pegar o cardápio quando Liam respondeu por nós dois - O prato do dia por favor - ele sorriu confiante, a senhora assentiu sorrindo e saiu, encarei Liam irritada - Escuta... - me debrucei um pouco sobre ele - Acho que... está na hora de você me dar algumas respostas não acha? - ele suspirou - Logo... aqui não é um bom lugar... - me joguei sobre o meu lugar ainda mais irritada, logo a comida chegou, suco de laranja e sopa de legumes, parecia delicioso,  avancei no prato enquanto estava quente, Liam como ao meu lado sem muito entusiasmo, acho que ele não era fã de sopa, sorri, bem feito, pensei,
em poucos minutos havíamos terminado e como sobremesa eu pedi um chesscake de morango e Liam pediu um hambúrguer, como se isso fosse alguma sobremesa (¬¬) , terminei de comer e só então parei para me preocupar com o dinheiro - Liam como vamos pagar? Estou sem um centavo. - ele sorriu - Apenas fica tranquila e vá para o carro... - assenti e sai voltando para o jipe, assim que me aproximei notei dois homens, um debruçado no capô, e outro parecia estar debaixo do carro - Hey o que estão fazendo?! - gritei através da chuva, eles levantaram e sairam cambaleando com suas garrafas de cerveja na mão, enquanto riam e corriam, balancei a cabeça, a chuva ainda caia com força, logo Liam estava atrás de mim - Por que não entrou ainda? - perguntou irritado - Por que não para de tentar mandar em mim - ele suspirou - (Seu nome)! Está chovendo! VAMOS! - ele exclamou me puxando, puxei meu braço - Pra onde? - ele suspirou - Não podemos decidir isso dentro do carro? - suspirei vencida, e segui com ele até o jipe, minha roupa encharcada, meu corpo, apesar do cochilo de mais cedo, precisava de uma cama, um banho quente, aconchego - Pode dormir... quando amanhecer te chamo pro café... - disse pisando fundo, o carro soltou um som estranho e depois fumaça, Liam olhou  confuso - Tinham dois caras fuçando aqui quando eu cheguei - ele me olhou com raiva, desceu e foi até o capô, mexeu, mexeu e nada, desci e fui até lá - Não adianta! Não enxergo nada, a chuva atrapalha, e nem acho que o problema seja aqui... Vamos achar um lugar pra dormir, e pela manhã achamos um mecânico... - assenti, ele voltou ao carro, pegou uma bolsa preta, as chaves e juntos saímos rumo á cidade, tudo estava ás escuras, nem se quer parecia um cidade de verdade, era muito pequena, andamos por quase quinze minutos até que achamos um letreiro agora apagado, onde estava escrito POUSADA, aquilo não me parecia uma pousada, mesmo assim entramos - Um quarto por favor pra passar a noite - O cara por trás do balcão sorriu, enquanto tentava limpar os restos de salgadinho da sua blusa - Claro, claro - ele entregou as chaves na mão de Liam , - Há e umas velas... - ele disse olhando ao redor, o balcão era iluminado por duas velas enormes, o cara sorriu - Tem velas no quarto senhor, vive dando esses apagões aqui, ainda mais em época de chuva. - Liam assentiu educadamente e pegou a chave, subimos um lance de escadas de madeira, e abrimos o quarto... Era marrom e rústico, bem rústico, mas tinha seu charme, Liam sacou um isqueiro e saiu acendendo as velas, fui pro banheiro, me despi, e tomei um banho quente, apesar da falta de luz, o chuveiro tinha aquecedor propio, a água quente parecia revitalizar cada músculo meu, ao mesmo tempo que os relaxava, aproveitei cada segundo e quando fui sair, olhei pra minha roupa no chão sem muita disposição para coloca-la, afinal estava enxarcada - LIAM! - gritei - O que foi? - ele respondeu um segundo depois do lado de fora do banheiro - Eu não tenho roupa! - disse meio desesperada, pude ouvi-lo abafar um riso - E onde está o problema nisso? - senti minhas bochechas corarem - Em tudo!  Será que você não tem uma camisa extra na sua mala... - pude ouvi-lo suspirar e dois segundos depois ele abriu a porta jogando sua blusa sobre a pia, eu felizmente estava de toalha... - Obrigada - fechei a porta e vesti a blusa cinza, ficou bem em mim, não como eu queria, um tanto curta - NÃO OLHA! - gritei - Se você insiste - ele respondeu maliciosamente, sai do banheiro, o quarto estava iluminado por velas e mais velas, do outro lado eu podia ver Liam, só de calça, ele se virou... - Você disse que não ia olhar! - ele levantou os braços em símbolo de rendição - Desculpe... desculpe - suspirei e me joguei na cama me cobrindo, ele sorriu e foi pro banheiro. Assim que me vi sozinha um mundo de preocupações se abriu... serà que Eve estava preocupada, e meu pai? Serà que alguém sabia do que realmente havia acontecido... afinal o que realmente havia acontecido?! Do outro lado do quarto, numa cadeira que parecia delicada demais pro lugar havia uma cadeira, e sobre ela a mala preta de Liam, engoli seco, ele estava me escondendo algo, e eu ia descobrir o que era, levantei e na ponta dos dedos fui até ela, abri vagarosamente o ziper, dentro havia algumas roupas, era a mala que ele ia levar para a minha casa, tentei enfiar a mão no fundo pra saber se realmente tudo era roupa quando uma mão puxou a minha - O que pensa que está fazendo? - ele rosnou, me soltei - Respondendo as perguntas que você não responde - ele suspirou irritado - Por que tem que ser tão teimosa? - voltei á pegar a mala - Não mexa aí! - revirei os olhos - Óh, você não manda em mim... - ele segurou meus dois braços e me puxou contra seu corpo me empurrando até a parede - Talvez
não... mas ainda sou mais forte que você. - seu corpo estava pressionava o meu contra a parede- E o que vai fazer agora? Me arrumar - ele soltou um riso debochado, arqueei uma sobrancelha, e ele avançou em meus lábios fazendo o beijo quase dolorido, suas mãos seguravam meus pulsos acima da minha cabeça, seu corpo contra o meu transmitia calor, assim que ele terminou de me beijar eu me soltei e voltei a tal mala, quando ia abri-la novamente Liam me puxou pela cintura me jogando sobre a cama... Voltou a prender meus braços e me beijou ferozmente, eu não ia deixa-lo... eu não... ele desceu seus lábios pro meu pescoço, arfei e ele sorriu, suas mãos quentes desceram para a lateral do meu corpo, e subiram por baixo da minha (sua) blusa parando sobre meus seios, gemi baixinho, ele os apertou suavemente, e tirou minha blusa voltando á me beijar, seus lábios desceram pro meu seio e em seguida pros meus mamilos, meu corpo se arrepiava á cada toque seu, eu gemia sem nem mesmo perceber, suspirei irritada, e sai de baixo de Liam, me sentei no seu colo ele estava sentado e eu o empurrei sobre a cama, ele riu, seus olhos escuros tomados por malícia, mordi o lábio suavemente, ele estava sem camisa com um moleton, eu sentia seu membro sob mim, corei, me debrucei sobre ele e voltei á beija-lo, minhas mãos se prenderam na barra do seu moleton e o puxei para baixo, eu podia ver seu membro dentro da box pulsando para mim, suspirei mordendo o lábio e me sentei sobre ele, a cara de tortura dele chagava á ser engraçada, sobre ele eu rebolava vagarosamente, sentia minha intimidade úmida e quente, ele suspirava com força, quase de repente eu estava novamente debaixo dele, rapidamente desceu minha calcinha e em poucos segundos seu membro já estava fora da box, ele olhou pra mim e eu assenti permitindo-o prosseguir, ora, e que outra escolha eu tinha, em poucos segundos senti ele vagarosamente colocar seu membro em minha intimidade, arfei e soltei um gemido baixo, ele ficou em movimentos vagarosos, indo e voltando - L-Liam... por favor - implorei em certo momento, ele sorriu e passou á estocar em movimentos rápidos e precisos, senti um espasmo no meu corpo que convulsionou num orgasmo, Liam continuou á estocar e em poucos segundos eu senti seu líquido quente me invadir e seu corpo caiu ao lado do meu... suspirei cansada, a chuva lá fora ainda caia com força, ele me puxou pro seu peito e beijou o topo da minha cabeça, bocejei... -V-você sabe que não deveria me esconder... nada. -ele suspirou - Eu sei... - olhei pra ele, diretamente em seus olhos - Então me conte... tudo. - ele ficou em silêncio, meus olhos pareciam querer se fechar por conta própia - Vou contar... durma, e pela manhã você vai saber tudo o que precisa saber... pequena. - ele disse por fim, meus olhos se fecharam e eu pude dormir ouvindo as suaves batidas do seu coração...

---------------------------------------------------------------------------------

HEY LIAMDAS! como estão? Muito zangadas comigo? Me desculpem pela demora meninas, minha internet foi-se (:\) e eu fiquei pelo 3g q torna quase impossível postar, BEM a BOA notícia é que agora meu notebook está concertado e eu já voltei á usa-lo, ou seja, vou aparecer aqui muito mais frequentemente (\o/) beeem, é isso, um hot ( não ficou muito legal mas tá valendo) pra vocês me perdoarem pela demora, comentem, amo todas vcs

XoXo

Feel the love - 1° temporada - Capitulo 17 - "Elevadores."

Capitulo 16 - "Elevadores."




Harry atacava os meus lábios como um leão ataca a sua presa. Rápido, preciso, selvagem...
Eu queria toca-lo, eu queria senti-lo, sentir cada parte que me era permitida.
Mas Harry segurava meus pulsos contra uma das paredes do elevador.
- Oh, Mariana... - ele sussurrou entre uma mordida no meu lábio inferior - eu não posso mais conter isso. - e então os seus lábios atacaram o meu pescoço, os seus beijos eram tão quente quanto eu imaginava.
Os seus lábios eram ágeis e suas mãos livraram-se das minhas, repousando uma em minha nuca e a outra em minha perna, trazendo-a na altura de sua cintura.
Sua mão puxava levemente o meu cabelo, me obrigando a inclinar a cabeça enquanto ele tinha mais espaço para depositar os seus beijos.
Beijos molhados, longos e quentes. Com sede e pressa.
Não demorou muito para que eu tomasse seus cabelos em minhas mãos e trouxesse os seus lábios de volta para os meus,
Seus lábios eram quentes e rápidos, entre beijos e mordidas, quando, contra a minha vontade, ele sessou os beijos, encostando sua testa na minha enquanto eu recuperava o folego
- Eu... eu não consigo mais... me... controlar... - ele tentava dizer enquanto eu roçava os meus lábios nos dele
Você não precisa. - eu disse enquanto deslizei minha mão pela sua nuca.
O começo de um sorriso se formou em seus lábios, seguido de um movimente rápido e preciso em volta da minha cintura, colocando-me em seu colo.
Seus beijos voltaram, dessa vez ainda mais quentes e intensos.
Eu estava mais alta do que ele, o que fazia com que ele inclinasse o rosto para tocar os meus lábios, parecendo ainda mais sexy desse angulo
O elevador rodeado de espelhos refletia vários de nós, o que fazia com que ficasse mais quente ali dentro. E fazendo com que cada vez mais, eu tivesse vontade de tirar cada peça de roupa que vestia.
A vontade de Harry não era diferente, levando em conta sua mão deslizando pela minha perna, por baixo da saia que eu usava e, parando na barra rendada da minha meia calça.
- Terreo. - foi o que o elevador anunciou, em vão.
Eu queria cada vez mais sentir o seu gosto, as suas mãos deslizando pelo meu corpo...
- Oh droga. - Harry conteve o beijo ao ouvir a voz - desculpa! sério, desculpa! Ai senhor! Eu estou indo.
Harry sorriu divertido enquanto mordeu os meus lábios me devolvendo ao chão
- Olá Kyle. - Harry disse ainda de costas para ele que tinha ima feição assustada.
- Eu... Eu...
- Carro, você vai pro carro. - completei
- Isso!  Carro. Desculpa. - ele se virou
Harry esperou que ele se distanciasse para me olhar sorrindo enquanto colocava o meu cabelo atrás da minha orelha.
- Elevadores... - rimos - Eu acho melhor você ir. 0 ele deu um passo para trás enquanto eu consenti rápido e nervosa.
Eu não sabia como me comportar, o que dizer, o que fazer...
- Am... até mais. - disse dando um passo á frente quando Harry segurou minha mão, fazendo-me virar para olha-lo.
Agora sua feição era séria, como o Styles que eu conheci, mas suas mãos eram quentes, como as do Harry de segundos atrás.
Eu o olhei e ele deu um passo a frente, se aproximando mais de mim e fazendo com que eu involuntariamente fechasse os meus olhos, esperando por sua reação.
Ele se aproximou e por fim, depositou um beijo longo e demorada na minha testa. Me deixando, confesso, um tanto quanto frustrada.
Sorri fraco enquanto me virei e saí do elevador. Andando, não sei como, sobre os meus saltos
Me aproximei do meu carro em meio a garagem vazia. Kyle estava sentado no capô, olhando o nada.
Apertei as chaves do carro em minha mão, o que fez com que o carri fizesse barulho e Kyle se assustasse.
- Ai! - ele gritou assim que eu me aproximei rindo de seu susto. - eu tô muito bravo com você! - ele disse enquanto nós entravamos no carro.
- Desculpa - disse ainda rindo
- Você disse que passaria na agencia, para irmos embora juntos, demora uma eternidade, me faz vir até aqui atrás de você e ainda me faz passar vergonha enquanto você e o seu chefe se pegam no elevador.
Eu olhei para ele que fingia estar bravo, fingimento que durou cinco segundos até que começássemos a rir.